Grey’s Anatomy (7.17) – This is how we do it

Depois de um interregno sem episódios, Grey’s está de volta. Confesso que o episódio não me entusiasmou grandemente, mas pelo menos serviu para criar grandes expectativas para o próximo episódio que promete muito drama e emoção. E sendo Grey’s perita nisso é de esperar um óptimo episódio, mas já lá iremos. O episódio começa onde o outro terminou, dando destaque ao relacionamento entre Lexie e Avery, bem como ao desenvolvimento da história de Adele. Comecemos pelos relacionamentos, depois de criada a possibilidade evidente de relacionamento entre Lexie e Avery, esta foi consumada no episódio passado. Neste o papel de Lexie foi simplesmente monótono, ora fosse na lavandaria ora no sofá. Avery por seu turno ainda conseguiu ter mais algum destaque, participando no início do estudo clínico de Webber.  Ler mais deste artigo

Video da Semana

Triste, lamentável simplesmente!!!

Lista: As minhas 5 desilusões…

Estou de volta e desta vez trago-vos as minhas mais recentes desilusões em termos de séries. Quando as expectativas são muito elevadas às vezes acabamos por nos desiludir quando elas não correspondem à realidade. É disto que esta lista trata. Spoilers!!!

Prison Break – Pois bem aqui está o que uma série deve ser no seu primeiro ano de estreia, cativante, interessante, especial. Prison Break conseguiu isso e muito mais, conseguiu surpreender pela positiva, pela originalidade e por todo o enredo e guião. Teve uma primeira temporada exemplar, conseguindo criar uma base de fãs fiéis e apaixonados pelas aventuras dos irmãos Scofield. Mas a segunda temporada e a terceira principalmente trouxeram um desgaste à série a às próprias personagens, as mortes sucessivas, as reviravoltas sem nexo, a repetição da história, fez com que muitos fãs se sentissem traídos e desiludidos com a série. Depois de uma primeira temporada brilhante as expectativas eram enormes, mas acabaram defraudadas. Eu contrariamente a muitos fãs, apesar de reconhecer a descida de qualidade consegui acompanhar a série até ao fim, e depois de uma segunda e terceira temporada algo decepcionantes, a quarta acabou por agradar-me minimamente, talvez nessa altura as expectativas já tenham sido outras. Scofield e os fãs talvez merecessem um segundo e terceiro ano melhores, mas mesmo assim a série lá se conseguiu despedir com alguma dignidade. Ler mais deste artigo

Lista: As minhas 5 personagens…

Ontem saiu as minhas 5 séries teens, hoje estou de volta com 5 personagens que recordo com carinho, mas cujo tempo já passou. Spoilers!!!

Eric Taylor (FNL) – Enfim quem lê os meus artigos sabe que Friday Night Lights é o meu bebe, a minha série de eleição. Logo não é de admirar que Eric Taylor seja consequentemente uma das minhas personagens favoritas. Podia escolher outra das inúmeros personagens bem construídas e envolventes da série, mas a verdade é que pelo seu destaque, pela sua importância e brilhante interpretação, Eric Taylor merece a colocação. Para mim juntamente com Tammy foram a alma da série. Uma das características mais marcantes de Eric era a sua capacidade de motivar e revelar o melhor em cada um. Dono de um discurso irrepreensível, Eric é o pai, o marido, o amigo, o treinador que todos nós gostaríamos de ter. Um dos melhores momentos, foi a discussão e a desilusão evidente na cara, nas expressões, nas palavras de Eric quando descobre o caso amoroso de Julie com um professor. Estou curiosa para ver novamente Kyle Chandler em acção, mas para mim ele será sempre um Taylor.

Ler mais deste artigo

Lista: As minhas 5 séries teens…

Aqui inicio uma nova gama de listas, em que serão colocados geralmente 5 items marcantes de alguma maneira. A primeira lista a sair é sobre séries teens que por um ou outro motivo acompanhei ao longo da sua existência e marcaram de certa maneira.

Dawson’s Creek– Ora aqui está uma das primeiras séries teens que segui regularmente quando a televisão portuguesa se dava ao trabalho de dar séries interessantes, a horas decentes nos maravilhosos meses de verão. Dawson’s caracterizava-se pela amizade e por alguma rivalidade na disputa pelo amor de Joey, a verdade é que no fim Pacey saiu vencedor. Na altura fazia parte da minha lista de séries favoritas, era recheada de dramas adolescentes e sendo eu uma adolescente na altura nada melhor que me deliciar com as aventuras alheias. A série seguiu o trajecto de Pacey, Joey, Dawson e companhia até aos tempos de faculdade e posteriormente na procura do primeiro emprego. Ao contrário de outras, Dawson’s Creek optou por não pular o tempo de faculdade, e nessa altura os três amigos encontravam-se separados permitindo o desenvolvimento e aparecimento de novas personagens. Embora muitos questionem essa opção eu até acabei por gostar dessa decisão. Em termos de números contou com 6 temporadas, com um total de 128 episódios. Devo destacar no episódio derradeiro uma cena que me marcou, a despedida de Jen. Ler mais deste artigo

Pódio de Ouro – 2/03/2011

Fabio Coentrão – Ora bem podia ser a reacção do Benfica pelo menos nos 20 minutos final do encontro, mas tendo sido o Fabio Coentrão o grande obreiro da recuperação merece o destaque. Temos ali um grande jogador já ninguém duvidava disso, com força, velocidade e acima de tudo vontade inesgotável, mereceu a estatueta de melhor jogador.

David Luiz – Primeiro porque mesmo longe continua ligado ao clube, tendo mandado uma carta que foi lida na gala do 107º aniversário do clube da Luz, e depois porque acabou de marcar um golo importantíssimo para a sua actual equipa. Conquistou os benfiquistas, agora certamente irá arrebatar os corações dos adeptos e adeptas do Chelsea.

Liedson – Os adeptos sportinguistas sentem a sua falta, choram por ele, aclamam pelos seus golos. Mas o levezinho brilha agora do outro lado do atlântico já tendo marcado 7 golos desde que saiu do Sporting.